2ª Paralisação | Cobramos apoio dos vereadores para os Motoboys de São Paulo

A 2ª Paralisação Geral serviu para aumentar a pressão nos governantes e no Judiciário. Mais uma vez, repudiamos projetos contra a categoria e defendemos os Motocas. Durante o trajeto realizado pelos Motoboys nós passamos pela Câmara dos Vereadores de São Paulo. Fomos recebidos por Eduardo Tuma, presidente da Casa. Ele, inclusive, subiu no caminhão de som do Sindicato e disse estar comprometido com as reivindicações dos Motocas.

Nós cobramos compromisso dos vereadores com projetos que visem melhorias para os Motociclistas e o chamamento dos diretores do SindimotoSP para participação em iniciativas e proposituras de interesse da categoria. Demos como exemplo a aprovação do Projeto de Lei (PL) 578/2019, importante para nossa classe. O PL dispõe sobre a atividade de Motofrete no âmbito do município de São Paulo, inclusive em relação às empresas e pessoas jurídicas que se utilizam de aplicativos para entrega de mercadorias, produtos, documentos, e-commerces e alimentos, e dá outras providências.

Este é um caminho árduo, sabemos bem disso. Nunca foi fácil e pelo visto nunca será. Sem a mobilização da categoria não conseguiremos ganhos concretos, mas estamos seguindo. A audiência no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) foi um avanço e prova essa teoria. Buscamos a todo tempo mecanismos legais para garantir que empresas de aplicativos e quaisquer outras companhias não explorem a mão-de-obra dos Motoboys. Este é um compromisso meu desde o início das minhas atividades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *