Temos que pressionar o vereador Mário Covas para barrar projeto MALDOSO

Nossa união será fundamental para barrar mais um projeto de lei maldoso contra a categoria. O Projeto de Lei 254/2019, de autoria do vereador Mário Covas Neto, proibi os Motociclistas da Capital de São Paulo trafegarem entre veículos em todas vias urbanas que sofrerem redução de largura das faixas ou em decorrência da utilização do conceito MULV – Melhor Utilização do Leito Viário.

VEJAM O ABSURDO
Caso esse projeto seja aprovado, a categoria que merece valorização e respeito, sofrerá punição por meio de multa e, para piorar, terá os pontos creditados na CNH, conforme estipula o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Reafirmo que este PROJETO MALDOSO afronta discussões sobre o assunto, aliás, a matéria vem sendo votada em Brasília na revisão do CTB pela Câmara dos Deputados.

Como muitos sabem, estou afastado provisoriamente do SindimotoSP, e dentro do Sindicato lutei contra a proibição de motos no corredor em âmbito nacional e graças à pressão do SindimotoSP e Febramoto junto ao deputado Juscelino Filho, que é relator do projeto, e com o apoio do deputado estadual Luiz Carlos Motta, além da colaboração da Abraciclo, conseguimos vencer.

O PL É INCONSTITUCIONAL

E sabe por quê?
Porque fere o artigo 5º, inciso XV, da Constituição – que garante a liberdade de locomoção e o direito de ir e vir das pessoas. Motociclistas: o momento exige PRESSÃO.

COBRE O VEREADOR MÁRIO COVAS NETO

Telefone – (11) 3396.4444
FAX – (11) 3396-4444
E-mail – covas@saopaulo.sp.leg.br
Site Oficial – http://www.mariocovasneto.com.br/
Facebook – https://www.facebook.com/mariocovasneto
Twitter – https://twitter.com/mariocovasneto

Um comentário em “Temos que pressionar o vereador Mário Covas para barrar projeto MALDOSO

  • 20 de junho de 2020 em 01:23
    Permalink

    Parabéns ao Sindicato dos motoboys Sindimoto 👏🏽👏🏽👏🏽 sempre na linha de frente por melhoria da categoria e e pela luta diaria contra as empresas que exploram dos serviços prestados dos motoboys

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *