Número Alarmante | 79% das indenizações do Dpvat no 1º semestre foram para Motociclistas

Uma triste constatação foi divulgada pela Seguradora Líder, empresa gerenciadora do Dpvat (seguro por danos pessoais causados por veículos automotores de via terrestre). Segundo o levantamento, 125.395 indenizações foram pagas para vítimas de acidentes envolvendo motocicletas. O número é realmente alarmante, pois representa 79% dos 158.728 benefícios concedidos nesse período. Se pegarmos os dados dos últimos dez anos, o cenário piora: foram pagas 3,2 milhões de indenizações às vítimas do trânsito envolvendo motocicletas e ciclomotores. No período, quase 200 mil pessoas morreram, e outros 2,5 milhões ficaram com algum tipo de invalidez permanente.

VIGILÂNCIA

Grande culpa do número é o estresse imposto pelas empresas aos trabalhadores. Com o aumento das entregas por conta da pandemia do novo Coronavírus, os prazos de serviço ficaram ainda mais apertados. E isso sem qualquer compensação financeira para tal feito. Os Motoboys rodam o dia todo, se expondo a risco duplo, o de contaminação e de acidentes, para garantir o funcionamento da sociedade durante uma das fases mais difíceis já vividas pelos brasileiros.

As motos correspondem a apenas 29% da frota de veículos, mas são as responsáveis pela maioria dos casos de invalidez permanente no trânsito. E a maior parte das vítimas é composta por jovens. Para termos uma ideia do avanço do problema na nossa sociedade, entre janeiro e março deste ano, ainda segundo dados da Seguradora Líder, 49.770 motociclistas ficaram inválidos em decorrência dos acidentes.

Vocês sabiam, por exemplo, que 60% das vagas de UTI do Sistema Único de Saúde (SUS) são ocupadas por vítimas dos acidentes? São dados da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB). Eles apontam também pela representatividade de 50% das cirurgias de urgência no sistema público de saúde. Isso ocorre com os Motofretistas pela ausência de uma legislação trabalhista com garantias e segurança para esses profissionais. Eles estão entregues à própria sorte.

Por isso, o SindimotoSP cobra das empresas:

  1. Tabela mínima de frete unificada a todos os aplicativos (atualmente cada um tem uma forma de cobrança);
  2. Auxílio constante durante a pandemia da Covid-19 – com fornecimentos dos EPI’s (Equipamentos de Proteção Individuais) – ou seja, reposição de máscaras e álcool em gel;
  3. Um valor maior na taxa por quilômetro rodado;
  4. Fim dos bloqueios injustificados pelas plataformas;
  5. Fim do esquema de pontuação, responsável por diminuir a nota de quem recusa entregas, por exemplo.

Toda a sociedade ganha com a redução dos números de acidentes. Esta deve ser uma preocupação urgente do Governo.

MAIS SOBRE O DPVAT

Criado em 1974, o Dpvat é um seguro obrigatório, pago anualmente pelos proprietários de veículos (carros e motocicletas) no Brasil, juntamente com a primeira parcela ou na cota única do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Se o veículo for isento do IPVA, o seguro Dpvat deve ser pago junto com o licenciamento anual ou com o serviço de emplacamento.

ASSISTA ABAIXO A REPORTAGEM DO PROGRAMA BOM DIA BRASIL SOBRE O TEMA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *