CPI dos Aplicativos | Momentos de tensão marcam audiência de votação dos requerimentos

A Câmara Municipal de São Paulo reiniciou nesta terça, dia 5, os trabalhos da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Aplicativos. Na pauta de trabalho, integrantes da Comissão apreciaram e deliberaram cerca de 100 requerimentos no qual convocam autoridades públicas para ajudarem na averiguação dos documentos a serem coletados. Também serão chamadas as empresas de apps do setor de transporte e delivery a fim de prestarem esclarecimentos sobre supostas irregularidades cometidas no município de São Paulo. Além, é claro, de se falar da precarização dos direitos dos trabalhadores.

A expectativa é que na próxima reunião, do dia 19, estejam presentes os secretários de Finanças, Fazenda, Mobilidade e Trânsito, além de representantes de outros órgãos, tais como:

  • Departamento de Transportes Públicos (DTP);
  • Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo (CET-SP);
  • Tribunal de Contas do Município (TCM);
  • Procuradoria-Geral do Município;
  • Procuradoria da Câmara Municipal;
  • Ministério Público do Trabalho (MPT);
  • Entre outros.
TENSÃO

Em determinado momento, o presidente da CPI, Vereador Adilson Amadeu, interrompeu a reunião para conversa reservada com os vereadores no anexo da Câmara, com a finalidade de realinhar a pauta. Isso porque não havia unanimidade em relação à inclusão das empresas de aplicativos atuantes no Motofrete. Após 40 minutos e de volta ao plenário, o discurso dos vereadores foi o esperado: sim, essas empresas também deveriam ser inclusas, uma vez essa CPI ter o intuito de averiguar supostas irregularidades por todas companhias utilizadoras de plataformas digitais, seja no transporte de pessoas ou delivery.

A CPI dos Aplicativos é formada pelo presidente, vereador Adilson Amadeu (DEM), pelo vice-presidente, vereador Marlon Luz (Patriota), e pelo relator, vereador Camilo Cristófaro (PSB). Também integram a Comissão o vereador Dr. Sidney Cruz (Solidariedade), a vereadora Luana Alves (PSOL), o vereador Senival Moura (PT) e o vereador Gilson Barreto (PSDB), ausente na reunião de hoje (5).

ASSISTA NA ÍNTEGRA

LEIA TAMBÉM

Levantamento Infosiga | 42% das mortes no trânsito em SP são por suspeita de embriaguez

Levantamento feito pelo DetranSP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo) e o Infosiga (Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo) aponta um dado alarmante: 42% das mortes no trânsito são por suspeita de embriaguez ao volante. De janeiro de 2019 a julho de 2021, foram registrados 12.470 acidentes e 892 óbitos de motoristas neste cenário. E também é constatado o fato das maiores vítimas serem os jovens… confira na íntegra

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *